Madrasta Carente

Meu pai com 46 anos se casou com minha madrasta de 29
Depois de 1 ano de casados, meu pai começou a trabalhar mais e começou a passar menos tempo em casa
Assim, eu e ela passávamos mais tempo juntos
Alguns meses depois de continuar nessa rotina, ela começou a demonstrar estar carente
Começou a andar pela casa de camisola do tipo bem sexy, fazia questão de mostrar seu decotão com aqueles peitos maravilhosos que dava vontade de agarrar a todo momento, sempre arrumava um geito de mostrar sua bumda deliciosa erguindo a camisola

Eu, por respeito a meu pai, fingia não notar
Mas depois de uns três dias, ela chegou no meu quarto, meio triste
Perguntei a ela o que tinha acontecido, e ela
-Fiquei tentando chamar sua atenção a semana inteira
E eu ja sabendo perguntei

-como assim???
-Fiquei andando pela casa me exibindo toda pra você, e você não fez nada, você não me acha atraente??
E eu
-Claro q acho!!
-Então porque você não faz nada?
Expliquei para ela
-Olha, você é casada com meu pai, não posso fazer isso com ele
Ela faz uma cara de que entendeu pergunta
-Mas você tem vontade de me fuder?
Dei um sorriso e disse
-Mas é claro

Então ela deu um sorriso, me deu um beijo na testa e me deu boa noite
Então fui dormir pensando nisso e acabei sonhando que estava transando com ela
Mas dai comecei a me sentir muito bem e acordei de madrugada, não era uma sensação comum, ela estava fazendo um boquete em mim enquanto dormia
Não consegui mandar para, aquele boquete com aquela boquinha deliciosa estava muito bom, como ela ainda não tinha percebido que eu tinha acordado, não falei nada até gozar, mas isso não demorou, estava tão gostoso que gozei rápido, quando percebi que ela já estava pra cavalgar, liguei a luz do abaju, e ela se assustou, mas riu e disse

-Te acordei bebê
E eu
-Não podemos fazer isso, meu pai vai ficar bravo
Então ela sentou em cima de mim sem que eu a penetrace e chegou perto de mim e disse
-Mas que disse que ele vai ficar sabendo
E começou a esfregar a bucetinha dela em cima do meu pau, e aquilo era demais, mas eu acabava tentando impedir, mas ela continuava sem parar
-É so deixar rolar meu amor
Ela dizia
Então ela começou a me dar uns beijos bem molhados enquanto se esfregava em mim, não resisti, larguei o foda-se
Virei pra ela e disse
-quer saber, arreda essa calcinha e me deixa meter
Ela ja de imediato toda feliz arredou e posicionoi meu pau e começou a descer devagar mordendo os lábios, e eu suspirava como se fosse a primeira vez
Aquele sexo proibido fazia tudo ficar mais gostoso, ela começou a cavalgar devagar e dava cada gemido gostoso que dava vontade de gozae so de ouvir, depois ela começou a aumentar a velocidade e gritava cada vez mais, era muito gostoso e não conseguia aguentar, ja tava quase gozando então mandei ela deitar pra eu fazer um oral nela ela, então ela deitou e ja ia abrindo as pernas toda feliz, ja me posicionei e meti a língua naquela bucetinha rosinha e deliciosa e molhadinha, ela gemia muito com oral que estava fazendo então me levantei e meti nela na posição de papai mamãe, e ela dizia que era a posição preferida dela e era minha também, então fui começando devagar e aumentando a velocidade e metendo com mais força ainda, ela gemia mais do que antes, era um verdadeiro sexo selvagem, era um gritaria sem fim, ela me abraçava com os braços e os pés, me agarrando pra não parar
Meti tanto que fiz ela gozar, não consegui aguentar e acabamos gozando juntos
Me deitei ao nado dela pra nós recuperar
-Fazia tempo que não gozava e me sentia tão bem assim
Disse ela
Então disse
-Vamo la pro chuveiro que faço isso de novo la
Fui para o chuveiro e ela ja vinha correndo atrás de mim
Nos beijamos de baixo do chuveiro com ela massageado meu pau e eu fazendo o mesmo na bucetinha dela
Ela virou pra parede e se inclinou na parede e empinou a bunda pr mim e disse
-Meti esse pau na sua madrasta vem
Ja fui metendo fundo e fazendo ela gemer sem para, ela tremia toda com migo a penetrando toda e fazendo gozar

Depois disso, continuamos a foder todos os dias sem parar

Depois eu conto do dia que papai descobriu tudo

Obrigado por lerem esse conto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *