Um fetiche e muito tesão

Olá estou voltando aqui hoje para relatar mais uma aventura que me ocorreu entre minha esposa um amigo e eu.

Já relatei aqui sobre meu fetiche que para alguns pode até ser meio estranho, mas sinto muito tesão e prazer de ver minha esposa passando roupas e isto já nos deu muito prazer e adrenalina que só por está escrevendo eu já sinto meu pau se enrijecer dentro da bermuda.

Pois bem vou contar tudo o que aconteceu, era sábado de carnaval eu minha esposa e mais 4 pessoa que formavam casais acertamos de ficar no sitio o final de semana.

Eu Paola minha esposa, mais um casal de amigos e a gerente da nossa loja com uma amiguinha sua, que segundo ela diz ser sua namorada, elas são lésbicas assumidas, foram juntas.

São excelentes pessoas como eu e minha esposa fomos na frente para organizar a casa do sitio pois estava há dias fechada, minha esposa levou uma moça para ajudar na faxina.

Já habituada a fazer este tipo de trabalho em nossa casa, Silvia uma morena muito bonita, pois bem eu aproveitei enquanto elas limpavam a casa fui abastecer o freezer de bebidas, coloquei as carnes na geladeira, pois íamos fazer um churrasco.

Estava muito calor eu tirei a camisa e continuei arrumando a área gourmet. Foi aí que minha esposa Paola me chamou pois estava precisando de ajuda. Eu fui em direção a casa e entrei logo no primeiro quarto dei de cara com a Silvia a faxineira passando ferro nos lençóis da cama, Caracas eu senti aquele aroma do ferro quente misturado com perfume suave das roupas limpas em segundos o êxtase tomou conta do meu corpo.

Fiquei olhando para Silvia com olhar devorador, ainda mais que ela sem perceber minha presença foi colocar o lençol na cama, ver ela com aquela blusinha fina semitransparente mostrando os bicos dos seios toda displicente me deu um tesão que já estava imaginando pegar naquele peitinhos e caindo de boca, sentia a suavidade dos mamilos na boca quando de repente minha esposa chega por trás de mim e fala… O que você está olhando não ouviu eu te chamar não?

Perdi o chão…Tentei disfarçar e já ia saindo quando minha esposa percebeu que eu estava bastante excitado e com a voz furiosa me disse em voz baixa ah é?

Então é assim você vai ver seu safado vou te dá o troco sem esperar mais nada eu sair do quarto.

Aí logo ouvimos barulho de carro era as visitas que chegavam, eu e minha esposa Paola saímos para recebe-los.

Logo conversávamos animados a amiguinha da minha gerente foi logo dormi, claro que sua namorada alegou cansaço e também saiu. Ficou eu minha esposa e o casal de amigos conversando resenhas e tomando cerveja já umas 11 horas a esposa do nosso amigo também foi dormi, ele disse pode ir amorzinho que logo eu vou…

Ficamos os três conversando foi ai que minha esposa levantou-se e disse amor já está um pouco tarde, mas vou passar os lençóis da nossa cama!

-Ah amor agora?

-Sim é rápido, eu falei tudo bem amor.

-Minha esposa foi até o quarto e surgiu com dois lençóis nas mãos e um ferro de passar, ai disse amor vou passar aqui a tomada do quarto não está boa.

-Tudo bem querida eu respondi, mas de antemão prevendo que ela veio fazer aquilo ali onde estávamos para me provocar.

Tentei não me importar, mas era algo impossível quando ela começou a arrumar os lençóis na mesa para passar o nosso amigo falou!

-Eu nunca passei roupas e nunca pensei neste detalhe agora que vou morar em outro estado fazendo especialização vou ter que aprender a fazer isso afinal não combina um médico ir para o hospital todo amarrotado! Rimos juntos aí Paola disse é fácil se quiser posso te ensinar.

-Não depois aprendo ele disse, aí eu fui até a área gourmet buscar cerveja aproveitei para arrumar as cervejas para que não empedrassem com isto demorei um pouco mais.

Quando estou voltando com duas cervejas na mão ao me aproximar ouço risos. Parei estático sem querer acreditar no que estava vendo.

-Paola minha esposa em pé segurando o ferro de passar e nosso amigo Diogo por trás dela apoiando seu corpo ao corpo de minha esposa numa tentativa de querer aprender a passar roupas, eles me viram aí pararam ai eu disse desse jeito Paola ele não aprende nunca você que precisa ficar por detrás do Diogo.

-Ah é mesmo nem pensei e assim trocaram eu fui colocar a cerveja na geladeira da cozinha e fiquei alguns instantes observando eles.

-Ver minha esposa, bem próxima a Diogo com os bicos dos seios roçando nas costas dele, me deu uma sensação de êxtase, a alça da blusa dela caiu para o lado e assim fiquei observando bem discreto e pude perceber que ele estava excitado ali na minha frente, ai ela ensinou a ele como passava roupas, foi quando eu voltei ele disfarçou um bocejo e foi para o quarto.

Minha esposa pegou os lençóis e seguimos juntos para o quarto lá ela forrou a cama tirei minha bermuda e camisa ali em pé na frente dela para ela perceber como eu estava excitado, aí eu perguntei o que ela achou de estar tão próxima de outro homem?

-Ela disse achei indiferente meu amor, mas estranhei pois ele ficou tão excitado quanto você quando me ver passar roupas.

-Ah é? Sim só não repudiei porque você estava em casa pois ele tocava seu pau teso na minha bunda!

-Sim e o que você sentiu meu amor? Eu perguntei? Ela nada me respondeu.

Foi aí que me aproximei de Paola abracei ela por trás, ela me perguntou e ai meu marido gostoso o que você sentiu quando me viu junto de seu amigo?

-Eu nada respondi apenas comecei a fazer carinhos em seus seios e fui enfiando minha mão em sua calcinha que nitidamente estava ensopada, a minha putinha sentiu tesão de ser desejada por outro homem eu pensei.

Se acham que fiquei zangado se enganaram eu gostei de saber que minha safadinha e uma mulher vibrante de tesão. Fiz minha querida esposa se deitar e cair de boca sugando sua xoxota melada em poucos minutos ela me encheu a boca com delicioso e farto mel.

-Suguei até a última gota ai abri mais suas pernas e fui por cima dela com estocadas fortes e firmes, fazia minha safada gemer igual cadela no cio.

-E assim minha safada que você quer leitinho é?

-Paola rebolava bem gostoso eu sentia cada cm do meu pau invadindo suas carnes macias, ai lentamente a coloquei de quatro (4), segurei com firmeza em seus longos cabelos e fui com tudo. Galopei em minha doce Paola com fúria e vigor até despejar meu farto leite por suas costas e bunda.

Ela gemia gostoso, ficamos atracados sonolentos e felizes até o amanhecer.

Quando acordamos o dia já estava claro o pessoal já estava tomando café, foi ai que soube que nosso amigo Diogo ia embora pois houve um imprevisto na cidade.

Acredito que ele se sentiu seduzido por minha esposa e foi embora para evitar problemas futuros. E este episódio foi apenas mais uma aventura do meu ou seja do nosso fetiche.

E a cada lembrança criamos momentos para poder vivenciar novas aventuras e realizar nosso fetiche…Delicia!

Docecomomel

@docecomomelcontos

Feira de Santana 28 de março de 2019.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *