Um namorado da minha mãe me fodeu

Olá tudo bem com vocês? Minha mãe teve vários namorados depois de se divorciar do meu pai, alguns chegaram a morar com a gente, outros não. E, se me lembro bem, todos eles tiraram uma casquinha de mim…
Esse que vou contar é um caso meio tenso porque eu sempre tive vontade de dar pra ele, desde antes que começou a namorar com a minha mãe. Ele não era da mesma idade dela, eu tinha 20 e ele tinha 29, minha mãe tinha 36 na época.
Nós o conhecemos na festa de aniversário de um primo meu, eu e ele conversamos bastante e me interessei por ele por simplesmente ser bonito, pouco depois ele conheceu minha mãe e eles se interessaram um pelo outro e começaram um namoro, eu fique de boa.

Das vezes que ele dormiu na nossa casa eu ouvi algumas vezes a minha mãe gemendo baixo, só uma vez eles dois chegaram bêbados de uma balada que tinham ido e estavam tão empolgados na foda que esqueceram que eu tava em casa… do meu quarto eu ouvia a cama batendo na parede e os gemidos da minha mãe, não me aguentei e me masturbei forte… A barulheira parou, meu calor era tanto que fui tomar um pouco de água e vi ele passando com o pau duro e aparentemente melado de porra, ele não me viu. Voltei pro meu quarto sem pegar água e sem falar nada. No dia seguinte minha mãe parecia meio sem graça porque imaginou que ouvi o barulho… a coroa se divertiu hehe

Com o tempo ele começou a me provocar, acho que ele começou a namorar com a minha mãe pra tentar um pacote de “namore uma e coma duas”. Eu também provocava ele rs.
Houve uma vez em que fomos nós três para a praia, quando voltamos eu fui ver no espelho do meu quarto melhor a marquinha já que tinha ido com um biquíni fio dental pra deixar uma marca fininha. Eu não havia trancado a porta e logo que tirei a parte de cima ele entrou no meu quarto, coloquei as duas mãos nos peitos.
“Bater faz bem.” Falei.

“Desculpa, tu esqueceu o celular no carro.” Ele disse e colocou o celular na minha cama.
“Ah, obrigada.” Respondi.
“Ficou uma marca boa.” Ele falou.
“É né? Eu gostei.” Virei de costas pra ele e me olhei novamente no espelho, já ele olhava pra minha bunda.
Coloquei um braço por cima dos meus peitos e abaixei um pouco a parte de baixo do biquíni na lateral.
“Ficou muito boa.” Falei, olhando pra marquinha.
“Sim, da sua mãe também, mal posso esperar pra chupar os peitos dela com essa marquinha nova.” Ele disse.
“Eu não preciso saber o que tu vai fazer com ela…” Respondi.

Ele riu e depois saiu do quarto, coloquei o biquíni de volta e peguei minha roupa pra ir tomar banho. Quando ia passando vi ele e minha mãe na sala, ela em pé com ele encochando e segurando os peitões dela… não me viram e não falei nada.
O ápice, antes de fodermos, foi quando cheguei meio alegre de uma balada e ele tinha ido dormir lá em casa. Quando cheguei ele tava na sala vendo filme e minha mãe já tinha ido dormir, eu usava um shortinho curto e uma blusa bem decotada.
“Pensei que chegaria mais tarde, to surpreso.” Ele disse.
“Eu não ia virar a noite lá né.” Respondi.
Ele veio me seguindo até meu quarto.
Peguei outra roupa e fui tomar banho mas ele tinha parado na porta.
“Essa roupa ta bem curta.” Ele falou.
Eu já tava sem paciência porque tinha passado raiva na festa, voltei pra perto da cama e tirei a blusa e o short, ficando só de calcinha e sutiã.
“Agora não ta mais.” Respondi.

Fui tentar passar e ele me agarrou de frente, colocando as mãos na minha bunda e ficou alisando. Fiquei parada olhando pra ele.
Depois ele me largou e deixou eu passar, tomei banho e fui dormir.
Deitada, já quase dormindo, reparei que ele entrou no meu quarto. Senti a mão dele na minha bunda, depois ele foi levando a mão até o meio das minhas pernas, ficou alisando minha buceta com uma mão e com a outra se masturbava, ficou batendo a rola na minha bunda e começou a enfiar os dedos em mim… Eu tava com tesão, doida pra dar, mas tinha medo de pesar minha consciência. Me virei de frente pra ele.
“Não, melhor parar.” Falei.
“Só um pouquinho.” Ele sussurrou, vindo pra cima de mim e encostando a rola na minha calcinha.
“Não, melhor não.” Falei, já tava suando com a buceta chorando pra levar surra.
Ele deitou por cima de mim e começou a beijar meu pescoço… minha vontade era de jogar as pernas pro alto e deixar ele me comer igual come minha mãe, mas resisti.
“Para, é sério… para…” Pedi, empurrando ele.
“Ta bom, ok, desculpa, me empolguei… mas se um dia quiser, eu topo.” Ele disse e depois saiu.
Respirei fundo, tranquei a porta do quarto e tentei dormir.
Agora vou parar de enrolar e falar da foda rs
Eu e ele não esquecemos aquela noite (a que acabei de contar acima), ele sempre comentava sobre aquilo pra me provocar e eu fingia que não me importava.
Minha mãe precisou sair cedo pra trabalhar, haviam ligado um dia antes pedindo pra ela fazer hora extra, e o namorado dela havia dormido lá em casa. Acabei acordando cedo também e fiquei enrolando na cama, depois saí pra tomar banho e tomar café.
“Ela já saiu?” Perguntei.
“Sim, ligaram pra ela ontem pedindo pra chegar mais cedo hoje.” Ele respondeu.
“Eita, algum B.O. deu hein.” Comentei.
“Pois é. E a bunda? Levando muita surra?” Perguntou, pra me encher o saco.
“Ultimamente nem tanto, mas ta.” Decidi parar de ficar ignorando e responder.
Ele riu.
“A buceta também, só lapada grossa.” Falei e dei o dedo do meio pra ele.
Fui pro banheiro, tirei a roupa e me sentei no vaso pra logo depois ir tomar banho, mas antes que pudesse me levantar ele entrou no banheiro sem roupa nenhuma. Ele parou de frente pra mim, com o pau ainda mole, e ficou me olhando. Ficamos nos encarando um tempo, respirei fundo e peguei no pau dele começando a masturbar devagar. Ele sorriu.
“Vai ceder então?” Perguntou.
“Estamos sozinhos em casa, no banheiro, sem roupa, to com uma rola perto da minha cara, ou eu transo agora ou me tranco no quarto pra bater siririca.” Respondi.
“Cara de menininha descente, mas safada igual a mãe.” Ele disse alisando meu rosto.
Não falei nada, só continuei masturbando ele até o pau subir de vez e parei.
Fiquei olhando pro pau dele, respirei fundo de novo e coloquei meus lábios na cabecinha, fui abocanhando devagar até onde consegui. Continuei chupando ele, deixando o pau dele todo babado.
Me levantei e fiquei de quatro me apoiando na pia, ele botou a rola na minha buceta e foi enfiando devagar… eita que eu fiquei doidinha rs
“Vou te comer igual como sua mãe agora.” Ele disse, puxando meus cabelos pra trás.
Não falei nada.
Desceu a rola, sem dó, meteu forte e eu apertei as mãos na pia porque olha… pau dele ia fundo rs
“Ai… Ah… Ah… Hm… Hm… Ai caralho… Ah…” Comecei a gemer.
“Bucetinha apertadinha, ta aguentando?” Ele perguntou, com uma mão ainda puxava meu cabelo e com a outra pegava nos meus peitos.
“Me come e… Ah… cala a boca… Ah…” Falei, com tesão e arrependimento ao mesmo tempo.
Ele riu, soltou meus cabelos e segurou com ambas as mãos na minha cintura, me comeu com mais força.
“Ai… Ai… Ah… Ah…” Passei a gemer mais alto e fiquei olhando no espelho, dava pra ver a cara de felicidade dele e a minha de indecisa, se estava mesmo gostando ou não… acho que tava no meio termo. Ele sapecava sem parar.
Fez uma pausa e tirou a rola.
“Parece que ta arrependida.” Ele disse.
“E to, mas ao mesmo tempo não to… difícil de explicar.” Falei e virei de frente pra ele.
“O gatinha, relaxa que vai ser nosso segredinho.” Ele disse, segurando na minha cintura e começando a me beijar
Não fiz nada, só deixei.
“Vem, vamos pro quarto” Ele me puxou pela mão e me levou até o quarto da minha mãe.
“Vou cavalgar.” Falei.
Ele deitou na cama, fiquei de costa pra ele, sentei e comecei a pular forte, a cama batendo na parede e eu gemendo, não sabia dizer o que tava mais alto.
“Eita que ficou brava.” Ele disse.
“Ah… Ah… calado… Ah… só goza… Ah…” Gemia e falava, queria que ele gozasse logo pra acabar.
Ele me botou deitada na cama de frente pra ele e socou forte, começou a me beijar também.
“Hm… Hm… Hm… Hm…” Eu tentava gemer e ele me beijando.
Perdi as forças das pernas e gozei.
“Isso, agora vou te fazer sentir uma dor que não vai conseguir sentar por um tempo.” Ele falou.
Me colocou deitada de costas pra ele, botou no meu cuzinho e mandou ver.
“Ai… Ai caralho… Ai… Ai… Puto… Ai… Ah… Ai ai ai ai… Ai…” Eu gritava, ele fodia com força, meu rabo (que por si só é bem fechadinho) doeu demais.
“Grita putinha, grita mais.” Ele dizia.
Mordi o travesseiro e fechei as mãos com força, parecia que ele botava mais forte cada vez que fodia.
Ele deu uma e deixou o pau dentro, largando a goza no meu cuzinho.
“Ah… Isso… isso, agora sim” Ele falou, tirando a rola e a goza pingando.
Continuei com o travesseiro na boca, respirando forte.
“É, acho que você não aguenta muito um anal ainda… precisa treinar mais.” Ele disse.
Ele pegou no meu braço, me levantei e a goza escorreu pra cama.
“Deixa que eu troco e já jogo esse pra lavar.” Ele disse.
“Pera…” Falei, sentindo o cu ardendo ainda.
Olhei no espelho, o bichinho com porra pingando e aberto.
“Caralho… ai, ta doendo ainda.” Falei, e fui até o banheiro.
Tomamos um banho juntos e, como minha mãe não ia chegar tão cedo, fiquei sem roupa mesmo pra dar uma… refrescada no buraco rs
Foi isso meus amores, eu acabei ficando com a consciência meio pesada mesmo essa não sendo a primeira vez que dei pra um namorado da minha mãe.
Logo mais conto pra vocês mais uma transa com meu filho e outra com meu pai.
Beijinhos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *