Fodendo o cuzinho de uma Putinha Casada

Estava morando em outra cidade, mas vinha seguido nos finais de semana ver meus pais, na época eu morava na capital. Tenho 40 anos, olhos verdes e o tom da minha pele é bem hispânico, meço mais que 12,80 cm.

Em uma destas vezes, em um sábado de janeiro no começo da tarde, cheguei ao pai e estava um casal na casa do meu pai, ela com seus quase 30, e ele já passando dos 60 e um filho, logo que entrei e fui apresentado vi que ela me deu uma olhada, e não pude deixar de notar que era muito gostosa, estava com um short jeans e uma blusinha de verão e vi que estavam se arrumando para ir para a piscina, o pai e o marido estavam na sala, e vi que ela e o filho de seis

anos foram para o pátio com minha madrasta e fiquei na sala conversando com eles, até que o pai me pediu para pegar uma cerva na cozinha, e nossa, quando olhei para o pátio a vi com um biquíni preto socado no rabo, levei a cerva para o pai e voltei para a cozinha dizendo que ia fazer um lanche e aí pude conferir melhor o “material”, ela era pequena, acho que tinha um pouco mais que 1,50 m, uma bunda grande que me deixou louco e seios pequenos, quando ela estendeu a esteira para deitar e tomar um bronze viu que eu olhava sem parar se jogou na piscina, e logo saiu da água virada de costas para mim e ajeitou a calcinha do biquíni no rabo, depois virou de frente para onde eu estava e ficou me olhando, me encarando mesmo, fiquei louco, querendo pegar o corpo, e foi aí que ela disse que iria ao banheiro e veio em direção a mim perguntando por que eu não entrava na piscina, com essa resolvi ir para a sala onde estavam o pai e o marido, e perguntei por que não íamos para a piscina, estava muito quente, e ouvi que estavam muito bêbados e que preferiam dormir, mas que eu aproveitasse a piscina e o pai chamou minha madrasta e pediu que arrumasse uma cama para que o Marido fosse deitar, pq ele já estava indo para o quarto sestear, eu como havia começado a beber a pouco estava tranquilo, pedi uma calção do pai e fui para a piscina, e já mergulhei direto, pois meu caralho olhando aquele rabão já dava sinais de vida, e fiquei dentro d’água conversando com elas, me disseram que teria um jogo de cartas e que estavam esperando mais algumas amigas, bah notei que ficaria ali com Ela por pouco tempo, mas tudo bem, o marido estava lá, havia o filho e tudo mais.
Resolvi saber mais sobre o casal, ou melhor, a casada, e me contou que ele era aposentado e tinham uma loja para animais, um pet, mas que estavam com dificuldade de encontrar um veterinário que ficasse pelo menos 20 horas para atender, falei que era Veterinário e que era uma pena por que eu estava morando em Porto Alegre, e que talvez preferissem alguma veterinária e etc., e ela foi me perguntando o que eu fazia em Porto Alegre, se tinha namorada por lá, onde morava, se gostava de lá e a campainha tocou, eram mais três mulheres, todas com mais de 50 anos que haviam vindo para o jogo, e aí ficou o impasse de quem ficaria de fora, pois jogavam 4 pessoas, e foi quando Ela disse que ficaria de fora cuidando do filho e tomando sol, e fui buscar mais uma cerva e me pediu um copo, e voltamos a conversar e beber juntos, e a safada toda hora se levantava, eu estava dentro da piscina e ficava admirando aquele rabo quase que todo de fora e se jogava na piscina, saia rindo e arrumando o biquíni dizendo que a pequena peça insistia em não querer ficar no lugar, eu louco para atacar,mas como? E assim passou à tarde, resolvi entrar, pois vai que o marido acordasse e me pegasse ali só com ela e o filho.
Pai acordou, e logo o marido, e me perguntaram se eu não faria um churrasco para eles, respondi afirmativamente e os dois pediram para que eu fosse comprar carne, carvão, pão e trago, e vi quando o Marido pediu a Ela que fosse até a casa deles e trouxesse uísque, já que o pai não toma destilados. Enrolei um pouco até que ela saísse na minha frente, e segui atrás até nos afastarmos algumas quadras da casa do pai, e fiz sinal de luz e ela parou, disse que queria falar com ela, disse que eu a seguisse, e fomos para uma rua com pouco movimento atrás do clube. Entrou no meu carro, perguntou o que eu queria, e falei que o mesmo que ela, e tentei um beijo, me disse que não, que nunca havia feito nada depois do casamento, que eu era louco, mas eu insisti e foi cedendo até que correspondeu ao beijo, parecia faminta pela minha boca, a língua procurando a minha e acabamos em um beijo intenso, e coloquei a mão nas coxas, tirou minha mão e então levei a mão dela até a minha piça, tentou tirar, mas eu segurei a mão dela e disse:
– Olha como ele esta louco por ti;
– EU SEI, VI NA PISCINA QUE ELE TAVA ME QUERENDO, MAS NÃO POSSO, SOU CASADA E NÃO TRAIO MEU MARIDO, MESMO QUE JÁ TENHA TIDO VONTADE,
e abriu a porta do carro, puxei-a de volta e disse que queria mais um beijo, e correspondeu, novamente levei a mão até as coxas e depois toquei a buceta por cima do short,disse me que NÃO e abriu novamente a porta do carro, então pedi só o nº do celular, me disse e saiu.
Peguei as coisas no mercado e retornei para casa, ela já havia voltado e mal me olhou, e o jogo havia passado para a sala e fui para a churrasqueira do pátio ao lado da piscina, o meu Pai, Marido e Ela vieram para a volta e o filho na piscina. Comecei o churras e perguntou se poderia me ajudar, eu disse sim, e com a carne no fogo, sentei para beber e ouvi quando ela disse para o marido que aquele dia estava com vontade de beber, ficamos conversando e bebendo, eles indagando da minha vida, falávamos da estância e às vezes eu ia até a piscina tomava um banho, e em outras ela tirava a canga ia até a piscina, brincava um pouco com o filho na parte mais rasa, até que o Marido pediu gelo, ela foi até a cozinha e eu disse que precisava ir ao banheiro, cheguei à cozinha e ela estava na ponta dos pés tentando pegar gelo no freezer da geladeira, cheguei por trás e encoxei, perguntei se precisava de ajuda, e a puta rebolou na minha pica:
– PRECISO DE AJUDA PARA OUTRA COISA;
Desvencilhou-se e retornou a churrasqueira, comemos o churras, o jogo parou as pessoas foram embora e ficamos apenas nós e o casal, o Marido já tinha um porre enorme, e meu Pai também, e foi quando resolveram ir embora e o Pai disse que eu fosse com eles para carregar o Marido até a cama, Ela me deu uma olhada que nossa, eu disse que claro que sim, e colocamos o cara no carro, o filho e fui seguindo eles. Chegando a casa ela me pediu que abrisse o portão, e a ajudasse com o marido até a cama, ajudei-o a subir até o segundo piso e o deitamos, depois me pediu que esperasse lá embaixo enquanto colocava o filho na cama, a casa era meio que afastada, com muitas árvores em volta e esperei na varanda sentado em um sofá, e depois de uns 15 minutos ela veio de banho tomado, louca de cheirosa, de vestidinho curto e com cerveja na mão, me ofereceu, mas eu disse que era melhor ir, que o cara poderia acordar, me disse rindo que só se ficássemos ali até o outro dia de manhã, pois do jeito que deitou não acordaria tão cedo, então puxei-a para o meu colo, ela relutou,mas sentou no meu colo e começamos a beijar, que beijo gostoso, a língua faminta e sedenta por um beijo gostoso, e minha piça foi crescendo, o caralho foi ficando duro e ela quis sair, mas eu peguei de jeito e dei-lhe outro beijo e meti a mão por baixo do vestido, toquei uma calcinha de algodão completamente molhada, e pelo lado da calcinha enfiei a mão e meti dois dedos na buceta, ela se levantou e disse que iria na cozinha buscar cerveja, logo que entrou eu fui atrás, peguei-a por trás, encostei no balcão da pia, e fui beijando o pescoço, e ela se derretendo, começou a rebolar comecei a levantar o vestido e quando olhei a calcinha me tarei, uma calcinha branca socada naquele rabo maravilhoso, e abri minha calça, ela me chamando de louco,coloquei a calcinha para o lado, tive a visão do cuzinho e bucetinha bem rosadinhos e forcei a cabeça da pica naquela buceta pequena, me pediu para parar,mas ao contrário eu forcei até que a cabeça rompeu a resistência dos lábios vaginais e entrou, só que a cadelinha deu um grito e ouvimos barulho vindo da na parte superior da casa, ela tirou a cabeça da minha pica de dentro da buceta e saiu correndo para ver o que era, eu peguei uma cerveja e me dirigi para onde estava meu carro, e ela veio correndo, pedindo para eu não ir, e perguntei o porque? Beijamos-nos gostoso, se agachou na minha frente, abriu minha calça, tirou meu pau para fora, agarrou com suas pequenas mãos e começou a chupar, sabia o que fazia, e parecia estar com fome, pois quase arranca minha piça chupando, mordia a cabeça, lambia e colocava o que cabia na boca, eu vendo que ia gozar, levantei-a e a coloquei de costas para mim apoiada no capô do carro e levantei o vestido, rasguei a pequena tira lateral da calcinha que caiu no chão e me abaixei, lambi e chupei aquela bucetinha rosada, e passei a língua no cuzinho, ela rebolava muito até que pediu para eu meter, me levantei e sem cerimônias fui enfiando o caralho, passou a cabeça e ela gritou, tapei a sua boca e não perdi tempo e mandei piça para dentro da buceta tesuda, ela rebolava ao ponto de eu quase me descontrolar e gozar, mas tirei a pica, ela reclamou e enfiei bombando forte para dentro, e olhando aquele cú não tive dúvidas, enfiei um dedo, ela reclamou e coloquei outro mais, eu fazia com os dedos o mesmo movimento da pica,quando eu socava o caralho, ou seja, enterrava os dedos no seu rabo, até que ela disse que ia acabar, e eu disse no ouvido dela:
– Goza, te acaba na piça que tu ta precisando;
Acabei de falar e mordeu a mão que tapava sua boca para logo em seguida gozar pedindo porra, perguntei se queria leite dentro, disse que SIM, que queria dormir cheia de porra, e não tive dúvidas… acabei dentro, enchi de porra até a buceta transbordar, ela se virou, se agachou começou a limpar a pica voltando a mamar sem deixar a piça amolecer, mas não me deixou gozar na sua boca, levantou,me deixando de pau literalmente na mão me deu um beijo gostoso, disse estava louca para fuder, e que não iria conseguir dormir sem fuder comigo, e pediu que eu esperasse que ia buscar uma cerva, que eu não fosse embora, peguei a calcinha do chão,cheirei e coloquei no bolso.Trouxe a cerveja e ficamos conversando encostados no carro, me disse que depois que casara ainda não tinha traído o marido, mas não sabe porque comigo teve vontade, que não se lembrava da última trepada com o marido, que ele só queria beber, não queria ajudar no trabalho, que já vinha com muito tesão, que era raro o dia que não se masturbava, mas que não tinha coragem de trair, pois ele havia sido sempre muito bom para ela, mas que talvez por conhecer meus pai e madrasta teria sentido confiança para fuder comigo, sabia que eu morava em outra cidade, que eu sabia que era casada, que tinha filho.Falei que tinha ficado tarado nela, que a bunda perfeita havia me deixado louco, e que achei que valeria a pena correr riscos e nisso foi que nos entregamos a mais beijos ardentes, nossa que seca ela estava, que vontade de beijar, e sabia beijar, o beijo era ótimo e voluntarioso, foi quando encostado no capo do carro e com ela recostada no meu corpo comecei a levantar o vestido, e ela sem calcinha, eu havia rasgado e guardado no meu bolso, fui apertando a bunda, fui abrindo a bunda até que cheguei no cuzinho onde enfiei um dedo, me chamou de safado, mas começou a rebolar com o dedo no cú, enfiei outro e avisei no ouvido que queria fuder aquele rabo, disse que NÃO, que era virgem no rabinho,que não havia dado ainda, Eu quis saber o porque? Eu queria saber, como que com aquela bunda maravilhosa ninguém tentará fuder seu cú, disse que uma vez deixou um cara tentar, mas que foi bruto, que quando tentou meter a fez sentir muita dor, o que fez com que não deixasse enfiar, e que não deixou mais ninguém, mas falei que queria tentar fazer sem ela sentir dor, prometeu pensar, eu dizia que ela ia gostar, se rebolava como uma vadia só com os dedos no cú, imagina com uma pica, mas este assunto esfriou ela, que disse que precisava entrar, mas pedi que nos encontrássemos de novo, ela disse que sim, perguntou quando eu iria embora, falei que na segunda, me disse que era uma pena, pois segunda pela manhã poderia me ver, eu disse que tentaria transferir meu retorno, ela me deu um beijo, sorriu e falou que eu não iria me arrepender se ficasse e entrou em casa e fui embora.
No domingo passei o dia no meu Pai, mas não apareceram e como ela havia ficado de me ligar, não liguei, quando estava no carro saindo da casa do Pai,lá pelas 20h30, recebi um watts dela dizendo que queria me ver, perguntei: (>> como? Marido e filhos?<<) – (>> FALEI PARA ELE QUE VOU À CASA DE UMA AMIGA QUE ESTA DE ANIVERSÁRIO, QUE É UMA REUNIÃO SÓ DE MULHERES, ONDE POSSO TE ENCONTRAR?<<).
Falei para deixar o carro no estacionamento de um amigo meu e que lá a pegaria, que em 15 minutos estaria lá. Liguei para meu amigo e combinamos tudo com o ronda do local, e mandei um watts pedindo que ela buzinasse na frente e entrasse com o carro, que eu estaria lá dentro aguardando. Tudo combinado e depois de uns 10 minutos de espera ouvi uma buzina e o carro dela entrar e estacionar ao lado do meu, e logo ela estava sentada ao meu lado, vestido curto preto e sandálias (eu não deixaria minha mulher sair assim para a casa de uma amiga) e me abraçou e me beijou demoradamente na boca e falou para sairmos dali, e não perdi tempo, e já fui perguntando aonde iríamos, falou em ir até um trailer de lanches para tomarmos uma cerveja, então parei o carro em uma rua com menos movimento, puxei a para mim e dei um beijo bem intenso, e já coloquei a mão no meio das coxas procurando a bucetinha, toquei por cima da calcinha, e no seu ouvido disse que não tínhamos muito tempo, e que o melhor era bebermos alguma coisa no motel sem o risco de sermos vistos, ela disse que topava e fomos até o motel, escolhi uma suíte com hidro e logo que abrimos a porta eu já fui puxando ela, pegando gostoso, beijando com tesão, e virei a de costas, apoiei a na pequena mesa do quarto e levantei o vestido, nossa que bunda, que rabo gostoso, e uma calcinha preta socada no cú, não tive dúvidas me abaixei e abaixei a calcinha até os joelhos e chupei por trás aquela bucetinha com pelos bem aparados, enfiei a língua lá dentro e a puta toda olhada e rebolando e lambi bem gostoso o cuzinho, quando cuspi vi que se arrepiou toda, e tirei a calcinha dela que estava pelos joelhos, me levantei e tirei minha roupa e apontei a piça para a buceta e fui metendo a cabeça, ela rebolou e parei, e quando suplicou pedindo pica fui metendo todo o pau bem devagar até que enterrei, dei um tapa na bunda e mandei rebolar, ela rebolava muito gostoso, e comecei então a socar…socar, tirar toda a pica, e enfiar de novo só quando ela suplicava, e as vezes tirava e pincelava o cuzinho, ela dizia que ali não, mas eu queria aquele cú, só que não tinha pressa, e foi então que comecei realmente a meter sem tirar para ela gozar e não demorou muito me disse que ia gozar, que queria porra dentro, mas eu não falava nada, e senti quando se contraiu e gozou, se acabo na piça, os gemidos e os gritos acho que foram ouvidos nos outros quartos, me encostei na parede e ela veio, se agachou e começou a chupar minha pica toda melada do seu gozo, e que vontade de chupar caralho, lambeu todo e depois colocou a cabeça e o que deu na boca, e depois foi chupando compassadamente enquanto batia uma punheta me fez enlouquecer, eu avisei que iria me acabar na boca, mas eu queria era o cú de safada, e no cú ela só dizia que não, e não aguentando mais gozei, e fiz ela toma toda a porra e ai que vi que me chupava e punhetiava com uma mão,mas tinha a outra na buceta massageando o grelo, então coloquei a na cama e comecei a chupar a buceta gostosa, e que bucetinha apertada, chupei aquele grelinho até me avisar que iria gozar, e parei, coloquei a de 4 na cama, lambi o cuzinho e soquei pica na buceta, ela gemeu e comecei a fuder forte, socando sem tirar, até que deixei todo dentro e se pôs a rebolar na vara, enfiei um dedo no rabinho e ela não falou nada, meti dois dedos e fiz o mesmo movimento que fazia com a piça na buceta, e pedia o cú, que queria meter e ela só dizia não, então tirei da xota, melei com meu pau todo o cú e o reguinho e falei que ia meter, ela reclamou, mas meti a cabeça vendo aquelas pregas se abrirem, a cabeça passou, disse que estava doendo, esperei o rabo se acomodar com meu pau, até que disse para eu meter mais um pouco, e fui metendo, saboreando cada centímetro aquele cú até que entrou todo e pedi que rebolasse, nossa como rebolava, parece que estava gostando da pica no cú e foi quando eu resolvi tirar e vi aquele cú gostoso todo aberto, me disse para colocar e gozar lá dentro, que queria saber como era porra no rabo, e enfiei e soquei até ela pedir para eu gozar porque estava ardendo, e acelerei meus movimentos e gozei dentro do cú, e logo ela pediu para eu tirar e quando tirei caiu na cama, deitei ao seu lado e falei que iria para o banho. Quando estava no banho ela começou a encher a banheira, colocou uma touca na cabeça para não molhar os cabelos e entrou rapidinho comigo, me deu um beijo gostoso, se lavou rapidinho e disse que agora queria na banheira, perguntei o que desejava na banheira?
– QUERO QUE TU FODA MEU CÚ;
Mais que depressa sai do chuveiro, ela já esta imersa na água morna da banheira, entrei já de caralho duro e ela veio para cima de mim, com as pernas abertas sentou no meu colo, e sentou com a piça digamos que deitada, e ela esfregando a buceta no lombo do pau, e trocávamos beijos ardentes, chupei os seios, mordi um e depois o outro, tirei a touca de banho, pediu que eu cuidasse para não molhar os cabelos, levantou um pouco e ficou agachada, meu caralho ficou posicionado na entrada da buceta, e ela deixou o corpo cair fazendo com que a pica entrasse toda enterrando toda na buceta, e começou a levantar e abaixar, levantar e abaixar,até que tirou, foi para o outro lado da hidro, se apoiou na borda expondo aquele rabão para mim, e disse:
– VEM!
Fiquei de joelhos, ensaboei bem o cuzinho, coloquei meu pau no rabo já aberto e meti tudo em uma estocada só, ela gritou,urrou e começou a rebolar gostoso, falei que se masturbasse e segui metendo forte no rabo, mas o que eu mais curtia era tirar todo o caralho e ver aquele cú arrombado, todo aberto e assim foi até que ela gemeu alto, pediu para eu gozar com ela e nos acabamos junto. Virou-se para mim, sentou novamente no meu colo e disse que queria que fossemos amantes, perguntei como????
– EU DOU UM JEITO, VOU A CAPITAL FAZER ALGUM CURSO, TU VEM, SÓ NÃO QUERO FICAR SEM FUDER CONTIGO.
Saímos do banheiro, tomamos uma rápida ducha, pediu que eu a levasse até o carro que já estava tarde, prometi que ligaria para o meu gerente dizendo que faria algumas prospecções de clientes na cidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *